Foto: Divulgação/TV Brasil

Agência Brasil – O compositor Marcelo Yuka, fundador da banda O Rappa, morreu no fim da noite desta sexta-feira (18), segundo a assessoria de imprensa do Hospital Quinta D’or. Ele estava internado em estado grave no hospital da zona norte do Rio de Janeiro desde o início de janeiro e sofreu um acidente vascular cerebral isquêmico na noite de ontem.


Nascido no Rio, Yuka tinha 53 anos e era cadeirante desde 2000, quando levou nove tiros e ficou paraplégico ao tentar impedir um assalto. A partir do episódio, ele aumentou sua participação em iniciativas de inclusão social por meio da música.

Marcelo Yuka integrou o grupo O Rappa de 1993 a 2001, atuando como baterista e compositor. Ele escreveu letras sobre temas como violência urbana, racismo e desigualdades sociais, com destaque para sucessos como Minha Alma, Me Deixa e Todo Camburão Tem um Pouco de Navio Negreiro. Em 2004 ele fundou a banda F.UR.T.O. (Frente Urbana de Trabalhos Organizados).

Em 2012, o músico concorreu como candidato a vice-prefeito na chapa do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) à prefeitura do Rio.

Yuka já vinha sofrendo de problemas de saúde desde agosto do ano passado, quando sofreu outro acidente vascular cerebral.

Corpo de Marcelo Yuka foi enterrado na tarde deste domingo (20) no Cemitério de Campo Grande, Zona Oeste do Rio — Foto: Matheus Rodrigues/G1

O enterro aconteceu no Cemitério de Campo Grande, bairro onde ele nasceu e cresceu. Família, amigos e fãs lotaram o cemitério para a última homenagem ao artista.

Pétalas de rosas foram lançadas sobre a sepultura tão logo o caixão foi depositado. Assim como ocorreu durante o velório do cantor, músicas d’O Rappa foram cantadas em coro durante a última despedida. A derradeira foi “Minha Alma”, um dos maiores sucessos da banda.