O carro usado pelas pessoas suspeitas de trocar tiros com a polícia continha várias marcas de tiros | © /foto Aldo Matos/Acorda Cidade

Foi dada a voz de parada, eles não pararam, e em determinado momento, já lá no bairro Queimadinha, eles atiraram contra os policiais e foi necessário o revide.


A perseguição policial que terminou com a morte de quatro pessoas, entre elas uma mulher, e deixou duas pessoas feridas, no bairro Queimadinha, em Feira de Santana, na noite de domingo (10), ocorreu após uma confusão em uma casa de show, na Avenida Presidente Dutra.

Segundo o delegado Roberto Leal, coordenador regional de polícia (1ª Coorpin), a briga teve envolvimento de pessoas ligadas a facções criminosas e durante as investigações foi levantada a suspeita de que a confusão também pode estar relacionada ao assassinato de Jefferson de Jesus Santos, de 29 anos. Ele foi morto com tiros no tórax e na cabeça, por volta das 15h15 de domingo no bairro Rua Nova.

“Já havia uma investigação aqui pela coordenadoria e pela DTE e pela Furtos e Roubo de pessoas ligadas a facções que estavam na eminência de se enfrentarem. Inclusive, essa situação se agravou com a morte que houve no bairro Rua Nova e estava sendo atribuída a outra facção – e por esse motivo foi dado esse alerta. Em determinado momento lá na casa de show houve um confronto entre eles, e após esse primeiro embate, a polícia conseguiu identificar os autores e saiu em perseguição. Foi dada a voz de parada, eles não pararam, e em determinado momento, já lá no bairro Queimadinha, eles atiraram contra os policiais e foi necessário o revide. Houve também o resultado de quatro pessoas que foram alvejadas e infelizmente vieram a óbito”, relatou o coordenador regional de polícia ao Acorda Cidade.

O delegado Roberto Leal informou também que diversas imagens de câmeras de segurança já estão sendo analisadas, inclusive envolvendo mulheres. Ele também afirmou que ainda é cedo para afirmar que há o envolvimento com o assassinato, mas o fato está sendo apurado.

“Temos imagens de várias brigas e do momento que antecede a saída deles da casa de show, e por isso a gente já percebe que essas pessoas, inclusive essa mulher, tem participação no fato. Os homens já identificados são pessoas contumazes no mundo do crime, um já foi preso por porte ilegal de armas, outros estão envolvido por tráfico de entorpecentes. Foi uma situação muito delicada porque foi uma situação em uma casa de show conhecida na cidade, com milhares de pessoas, e a polícia não iria permitir que houvesse um confronto ali. Foi necessária essa atitude enérgica justamente para resguardar a vida de várias pessoas que estavam em um momento de lazer”, enfatizou.

© /foto Aldo Matos/Acorda Cidade

O carro usado pelas pessoas suspeitas de trocar tiros com a polícia continha várias marcas de tiros.

Um vídeo postado em redes sociais flagrou uma briga generalizada durante um show na casa de eventos, no entanto, a polícia não atribiu às pessoas que aparecem nas imagens em questão, o envolvimento delas com as que estão envolvidas na ação policial e que apareceram em outras imagens.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade