Cerca de 60 pessoas estão participando da manifestação em Salvador, segundo testemunhas(Foto: CORREIO)

Anúncios

Integrantes do Movimento Social de Luta ocuparam uma fazenda em Dracena, no interior de SP; No sul da Bahia, a Frente Nacional de Luta Campo e Cidade bloqueou a rodovia BR-101, em Teixeira de Freitas

 

SOROCABA – Integrantes do Movimento Social de Luta (MSL) voltaram a ocupar a Fazenda Espinheiro Preto, na madrugada desta quarta-feira, 24, em Dracena, interior de São Paulo. Antes de entrar na área, cerca de 50 militantes bloquearam a rodovia vicinal Noritaro Murata. A estrada já foi liberada. A fazenda já havia sido ocupada na semana passada. Os manifestantes protestam contra a condenação do ex-presidente Lula e pedem a retomada da reforma agrária.

No sul da Bahia, integrantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) bloquearam a rodovia BR-101, em Teixeira de Freitas, na manhã desta quarta-feira, em defesa do ex-presidente Lula e para reivindicar a reforma agrária. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) deslocou viaturas para o local e informou que agentes negociam a liberação da pista.

Manifestação

(Integrantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade bloquearam a rodovia BR-101, em Teixeira de Freitas, sul da Bahia Foto: Jaelson Nunes)

Em Mato Grosso do Sul, militantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL), movimento dirigido por José Rainha Junior, bloquearam a entrada da unidade da empresa JBS, na Vila Popular, em Campo Grande (MS), na manhã desta quarta-feira. Os manifestantes pedem o direito do ex-presidente Lula de concorrer à eleição presidencial deste ano. A Polícia Militar acompanha o protesto. [O Estadão]

 

Salvador-Ba, Cerca de 60 pessoas estão participando da manifestação, segundo testemunhas. Um grupo de manifestantes fechou a via na altura do bairro de São Cristóvão no início da manhã desta terça-feira (24). O protesto aconteceu na Avenida Carybé, no sentido aeroporto. O protesto foi motivado pelo julgamento do ex-presidente Lula, que acontece em Porto Alegre, na manhã desta quarta.

Polícia Militar está no local para tentar mediar a situação
(Foto: Wladmir Pinheiro/CORREIO)

 

Segundo informações da Transalvador, os manifestantes usaram materiais de construção das obras do metrô e fecharam a via. Equipes da Polícia Militar foram ao local e negociaram a liberação da via. Houve confronto entre policiais e manifestantes, de acordo com a Transalvador. A manifestação começou por volta das 4h50, segundo o Cicom, e encerrou por voltadas 7h. Cerca de 60 pessoas participaram do ato.  [CORREIOS 24HORAS]